CEEFA - Centro de Estudos Espíritas Francisco de Assis

Ação Social

História

Diante de um problema frequente na década de 1960 – o grande número de mães solteiras desamparadas – surgiu, entre frequentadores do Centro Espírita Francisco de Assis, uma proposta de trabalho em prol dessas mulheres. Na época, o número de iniciativas destinadas ao auxílio de mães solteiras era grande; a ajuda vinha do Governo e várias iniciativas estavam focadas nesse mesmo problema, deixando esquecidas as comunidades carentes. Pensando nisso os colaboradores mudaram seus planos. A partir de então, a proposta não era mais proteger a mãe solteira, mas atender à população de baixa renda.

Mas, para isso, era preciso verba. A primeira ideia do grupo, para arrecadar fundos, foi oferecer cursos de corte e costura à comunidade. As aulas eram pagas e todo o dinheiro usado na compra de mantimentos. Uma parte dos produtos era distribuída e a outra utilizada no preparo de sopas, oferecidas uma vez por mês, sempre aos domingos, à população carente. Além dos cursos, as doações ajudaram a sustentar a iniciativa por muitos anos.

A sopa foi organizada pelo Centro Espírita por 8 anos. Durante esse trabalho, era impossível não notar o grande número de mães carentes que vinham em busca da sopa todos os meses. O grande problema era a falta de preparo para o mercado de trabalho e o consequente alto índice de desemprego entre essas mulheres. Foi isso que motivou a criação do Clube de Mães, onde a participação nos cursos de corte e costura era gratuita. O objetivo era preparar essas mulheres para uma atividade profissional e garantir a elas melhores oportunidades.

A iniciativa deu certo, mas deixou evidente outro problema que as mulheres de baixa renda costumam enfrentar: onde deixar os filhos durante seus dias de trabalho. Foi aí que surgiu entre os colaboradores a proposta de criação de uma creche, para mães comprovadamente carentes.

Mais uma vez, era preciso mobilização. O departamento social do Centro Espírita arrecadou doações por meio de grupos de mutirão de trabalho para garantir a construção do primeiro espaço onde funcionaria a Ação Social Casa da Criança Francisco de Assis, oficialmente inaugurada em 15 de maio de 1965.

A creche estava funcionando mas, na época, a verba era pouca. Doações mensais, alguns eventos promovidos pela instituição e um auxílio trimestral da LBA garantiam o atendimento de apenas 15 crianças, entre 2 e 5 anos. No entanto, mesmo com todas as limitações, a entidade conseguia oferecer alimentação, atendimento médico, roupas e brinquedos às crianças. Mais tarde, alguns convênios e parcerias foram feitos, trazendo mais pessoas para colaborar na instituição.

Sempre engajados na organização de campanhas, os colaboradores foram aumentando a arrecadação e ampliando a entidade. A pequena casa de madeira que abrigava as primeiras crianças transformou-se em um amplo espaço, adaptado para oferecer serviços educacionais e assistenciais.

Até 2014 o Centro de Estudos Espíritas Francisco de Assis manteve o Centro de Educação Infantil (CEI), com creche e pré-escola, atendendo diariamente à 100 crianças, de 2 a 5 anos em período integral para que as mães e responsáveis pudessem trabalhar. Para manutenção da obra foram feitos convênios com a Secretaria Municipal de Educação (SME) e Fundação de Assistência Social (FAS).

No início de 2014 a SME, vetou parte das verbas dirigidas ao pagamento integral de funcionários, o que gerou despesas e onerou muito o quadro associativo do CEEFA. Diante desta situação o Conselho Deliberativo, após diversas reuniões decidiu encerrar o convênio na área da educação e iniciar um novo processo de Promoção Social, no qual o Espiritismo e os valores espirituais fossem mais veiculados.

Neste processo de renovação da Promoção Social do Centro de Estudos Espíritas Francisco de Assis (CEEFA), ao final de 2014 iniciam-se diálogos para o CEEFA apoiar as iniciativas da Casa de Joana D’Arc / Lar Fabiano de Cristo junto à 46 famílias (228 pessoas) em situação de vulnerabilidade social, econômica e ambiental, no Jardim Acrópole, Bairro Cajuru em Curitiba - PR.

Em janeiro de 2015 se efetiva o trabalho do CEEFA junto à Casa de Joana D’Arc, esta última tem o objetivo de retirar as pessoas de faixas de miserabilidade, preparando-as para inserção na sociedade, no mercado de trabalho e para uma vida mais espiritualizada. A proposta envolve toda a família em um processo educativo de crescimento, através de diversos tipos de atividades, como: artesanato, ensino profissionalizante, educação em valores humanos, atividades culturais, artísticas, educação física e convívio social. As ações junto às famílias são fundamentadas na Doutrina Espírita.

Entre 2015 e o início de 2018, o CEEFA auxiliou várias instituições com aporte financeiro e distribuição de doações, como o Lar Fabiano de Cristo e o Hospital Espírita Bom Retiro.

No início de 2018, o CEEFA começa a trabalhar uma nova proposta de ação social.

Contamos com seu apoio nessa história de solidariedade e amor ao próximo.